domingo, 18 de março de 2007

Becky e eu.

Eu leio. Muito. De Shakespeare até bula de remédio... passando por Edgar Allan Poe, Machado de Assis, Garfield e Calvin & Haroldo.

Mas por conta de tanta coisa maçante que tenho que ler para o sucesso (!?!) do meu mestrado, por vezes me vingo e leio outros livros descompromissadamente, só para relaxar e me divertir.

O último livro que li e gostei bastante foi Comer, Rezar, Amar (que eu já comentei aqui)... mas eu divago.

Hoje de manhã um leve caos reinava na cozinha: massa do rocambole crescendo, (o recheio pronto e esfriando), e eu fritando fatias finíssimas de abobrinha (hehe) para fazer antepasto, quando toca o telefone. Uma amiga perguntando se poderia passar aqui para que eu lhe acompanhasse até uma loja de materiais para artesanato - assim, só pra fazer companhia mesmo. Aceitei, obviamente. Dei um jeito rapidíssimo na cozinha, troquei de roupa e fui.

((Fui, assim, só mesmo pra fazer companhia, sem intenção de comprar nada, já que preciso economizar uma graninha...*))

Ela aproveitou para me devolver uns livros que havia levado pra ler (é aqui que eu queria chegar) e dos quais eu gosto muito.

Os livros devolvidos são: "Os delírios de consumo de Becky Bloom" e "Becky Bloom, delírios de consumo na 5ª Avenida" da autora inglesa Sophie Kinsella, os dois primeiros da saga que trata do (por muitas vezes exacerbado) consumismo feminino, mas com muito humor.

Exemplo de literatura leve e divertida tendo o público feminino como alvo, tão na moda desde "O diário de Bridget Jones", a personagem de Kinsella se diferencia de sua antecessora no gênero porque não estava buscando o grande amor de sua vida, embora aparentemente o tenha encontrado. Becky está muito mais preocupada com seu mundinho: seu trabalho, seus amigos e, é claro, as compras. Os livros narram as aventuras desta adorável consumista que, para dar vazão à sua ânsia por saias, sapatos, bolsas e móveis de grife se mete em muita confusão.

Eu recomendo, pois mesmo que a gente não seja tão exagerada como Becky com certeza já nos deparamos com aquela coisa que “precisamos muito” comprar naquele momento

Fala sério: ler é infinitamente melhor que assistir certos programas bbboçais na TV, right?

((* Momento Becky Bloom: voltei da loja com vários pacotinhos de guardanapos decorados e peças de madeira para decoupage, como se não existisse aqui no meu apê um estoque considerável dos mesmos.))

Beijocas ;*

5 comentários:

fezoca disse...

Ha Ha Ha! Maria Helena, eu faco muito dessas, vou so 'acompanhar' e volto mais carregada que a pessoa que foi realmente 'comprar'!! :-)) beijao e bom domingo! :-)

Agdah disse...

Pena que, no Brasil, os livros custam caro para a grande maioria e as bibliotecas são vistas como "museus".

A Taste in Heaven disse...

Maria Helena, também sou fascinada por livros, e não tenho limites quando saio para comprar algum livro novo.... é realmente desesperador, rs.
Bjs,
Vivianne

Lili disse...

Ah... queria ler seus livros :P
mt legal ver mais alguem que tb acha que cultura não se ve na tv - na maioria das vezes, melhor um livro...

Maria.Helena disse...

Meninas, a Sophie Kinsella é "literatura mulherzinha", mas é bem divertida... rsrs.

Fe, nem me fale...rs..rs... sou igualzinha!!!

Vivi, todo mês compro pelo menos um..rs...e em épocas de economizar é um martírio, porque eu sempre quero 2, 3, um monte... rsrsrs

Lili, verdade... eu to muito atacada com a TV, só assisto a sky e ainda assim de vez em quando..rs

Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin